“Nossa luta continua pela reposição do orçamento”, afirma presidente da SBPC na abertura da Reunião Regional no Cariri

Em seu discurso durante a cerimônia que abriu oficialmente as atividades da Reunião Regional, no Crato (CE), Helena Nader criticou os contínuos golpes que a educação e a CT&I vêm sofrendo. Ela também ressaltou a importância da região do Cariri, que possui uma das mais importantes riquezas geológicas e paleontológicas do País
“Continuaremos lutando dentro desse ambiente político hostil, e muitas vezes indigno, que encontramos por todo o Brasil atual. É por um Brasil moderno, socialmente justo e digno que lutamos. Por uma educação e ciência de qualidade, que possam evitar o retorno ao atraso econômico e ao obscurantismo social e cultural”, disse Helena Nader, na Sessão de abertura. Foto: Chico Gomes/SECITECE
“Por uma educação e ciência de qualidade, que possam evitar o retorno ao atraso econômico e ao obscurantismo social e cultural”, disse Helena Nader, na Sessão de abertura. Foto: Chico Gomes/SECITECE

A luta da SBPC contra os severos cortes no orçamento da ciência, tecnologia e inovação no País e contra o descrédito ao conhecimento científico marcaram o discurso da presidente da entidade, Helena Nader, durante a cerimônia de abertura da Reunião Regional da SBPC no Cariri, nesta terça-feira, 2 de maio, no Crato (CE). Nader reforçou o importante papel da ciência na sociedade e ressaltou a importância científica, histórica, econômica e cultural da região, que abriga o Geopark Araripe – uma das mais importantes riquezas geológicas e paleontológicas do País, segundo destacou.

O Geopark é o primeiro das Américas e Hemisfério Sul e é reconhecido pela Unesco como um patrimônio da humanidade. “Esse é um legado natural e social em perfeita sintonia com os valores e os anseios da SBPC – de preservação e conservação de nossos patrimônios naturais, de fortalecimento da cultura, da educação e da ciência em todos os níveis”, disse.

Nader destacou ainda a importância da colaboração das entidades da região anfitriã para a realização do evento, que tem como característica promover o desenvolvimento científico local e o engajamento da comunidade com a Ciência.

Sobre a crise que a educação, a ciência, a tecnologia e a inovação vêm enfrentando no Brasil, Nader afirmou que esse conjunto de deficiências precisa ser sanado com urgência. Ela lamentou os cortes no orçamento federal para ciência, tecnologia e inovação que atingiram 44% da previsão inicial na lei orçamentária anual (LOA), reduzindo a já pífia previsão de R$ 5,04 bilhões para R$ 3,2 bilhões. “Nossa luta continua pela reposição do orçamento em níveis que possam garantir um Estado soberano, e totalmente inserido no novo cenário mundial da economia do conhecimento”, afirmou, acrescentando que todos precisam repetir à exaustão o mantra “Educação e Ciência não são gastos, mas sim Investimentos”.

“Continuaremos lutando dentro desse ambiente político hostil, e muitas vezes indigno, que encontramos por todo o Brasil atual. É por um Brasil moderno, socialmente justo e digno que lutamos. Por uma educação e ciência de qualidade, que possam evitar o retorno ao atraso econômico e ao obscurantismo social e cultural”, acrescentou.

Obscurantismo

A presidente da SBPC falou ainda sobre o movimento global em defesa da ciência que aconteceu no último dia 22 de abril, a Marcha Pela Ciência. “Manifestações em mais de 20 cidades brasileiras, reuniram na mesma data milhares de pessoas para discutir o papel da ciência na sociedade. Esperamos que eventos como essa marcha sejam uma boa semente para estreitar os laços entra a ciência e o público”, disse.

Uma das bandeiras da Marcha foi a luta contra o descrédito à evidência científica e uma tendência à crença em teorias obscurantistas. “Ciência não é crença, ela é baseada em evidência. Não podemos admitir o ensino do criacionismo nas escolas ou do chamado desenho inteligente, ainda mais nesta região que apresenta provas contundentes da evolução da vida”, alertou Nader. Ela também reiterou a posição da SBPC contrária à proposta denominada Escola sem Partido.

“Todos esses desacertos e ataques contra a educação e a ciência, essa falta de lucidez, parece estar minando o nosso país, destruindo valores éticos e o sonho de toda uma juventude”, concluiu.

Leia o discurso da presidente da SBPC na íntegra aqui.

 

Daniela Klebis – Jornal da Ciência